Uma boa nota no Enem 2019 pode ser a diferença necessária para transformar o seu sonho em realidade, não é mesmo? :) A prova é o principal instrumento de acesso à inúmeras instituições de ensino de renome do país e, por isso, se preparar para a prova adequadamente é fundamental. Mas não se engane! Há outras coisinhas interessantes que você precisa saber além dos conteúdos escolares que podem fazer a diferença na hora do resultado final. Pensando nisso, nós contamos quais são os principais comentários de professores e instituições que oferecem cursinhos preparatórios, e também relembramos algumas mudanças importantes dos últimos anos. Confira!

Novo formato

Até o momento, a edição deste ano do Exame Nacional do Ensino Médio seguirá com todas as mudanças efetuadas nos anos de 2017 e 2018. Agora a prova não é mais dividida entre o sábado e o domingo de um mesmo final de semana e, além disso, também aconteceram algumas alterações relacionadas à duração da prova.

Desde 2018, o exame foi dividido entre dois sábados, em finais de semanas seguidos. No primeiro dia, é realizada a prova de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias e Ciências Humanas e suas Tecnologias, dois cadernos que trazem questões relacionadas às disciplinas de Português, Artes, Educação Física e Língua Estrangeira, além da clássica redação. Ao todo, o conteúdo ainda é dividido entre 90 questões de múltipla escolha e o texto, em uma avaliação que pode ser feita em até cinco horas e meia.

Já no segundo sábado, os candidatos realizam a prova de Matemática e suas Tecnologias, na qual devem solucionar 45 questões de Matemática, e o caderno Ciências da Natureza e suas Tecnologias, com outras 45 questões divididas entre as disciplinas de Física, Química e Biologia. Ao todo, serão disponibilizadas cinco horas para completar a prova - meia hora a mais do que as disponibilizadas na edição de 2017.

Nível de dificuldade

Linguagens, Códigos e suas Tecnologias & Ciências Humanas e suas Tecnologias

O primeiro dia de provas do Enem 2018 foi considerado “trabalhoso” por muitos alunos e também por inúmeros professores de cursinhos espalhados pelo país.

Na disciplina de História, o exame manteve os padrões dos anos anteriores e trouxe muitas questões voltadas à História Brasileira, provando mais uma vez que o tema é mais recorrente do que os assuntos relacionados à História Geral. Já em Geografia, as referências dos anos anteriores também foram semelhantes, mas ainda exigiam um conhecimento mais aprofundado dos candidatos quanto aos conceitos e aspectos envolvidos pela matéria.

Entre as perguntas de Linguagens, o Enem também se manteve fiel aos modelos dos anos anteriores. Não houve questionamentos diretos a respeito de conteúdos gramaticais, mas foram cobradas noções importantes de interpretação. Ainda, alguns professores pontuaram algo curioso: muitas questões carregavam grandes doses de subjetividade em seus enunciados e alternativas, um aspecto que demandava mais atenção dos candidatos.

Vale ressaltar também que os conteúdos dos textos das provas ganharam muitos elogios. O Enem 2018 trouxe indiretamente muitos trechos  de textos e obras interessantes para ajudar a fundamentar suas questões, os quais trabalhavam temas atuais e representativos, deixando a prova mais “viva” aos olhos do candidato mais antenado.

Já em Língua Estrangeira, ambos os idiomas disponibilizados para a escolha dos candidatos mantiveram seus níveis semelhantes aos anos anteriores. Não foram utilizadas expressões idiomáticas complexas ou pegadinhas, uma vez que as questões estavam relacionadas a interpretação de textos e compreensão de informações nos mais diversos estilos textuais, como cartuns, textos literários ou reportagens, por exemplo.

As questões voltadas à disciplina de Filosofia também foram semelhantes em relação ao seu formato, mas o curioso é que o exame deixou de lado nomes tradicionais e recorrentes em edições anteriores, como Platão e Descartes. Em 2018, a prova trouxe nomes relacionados ao pensamento político, como Rousseau e Hobbes, e também envolveu nomes da filosofia medieval, um tema que não aparecia há algum tempo.

Por fim, a redação da edição, com o tema “Manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet”, trouxe uma abordagem mais ampla quando comparada aos temas anteriores. Antes, era comum encontrar temáticas atuais voltadas sempre à reflexão sobre a sociedade brasileira ou o Brasil, algo que não aconteceu em 2018. No entanto, apesar da forte atualidade do assunto, o candidato precisava de muita atenção para não ser levado pela sua abrangência e fugir da proposta de redação do exame.

Matemática e suas Tecnologias & Ciências da Natureza e suas Tecnologias

O segundo dia de provas também foi considerado desafiador, com uma grande quantidade de questões classificadas como médias ou difíceis.

Entre as questões de Química, está uma das maiores surpresas do Enem 2018. Pela primeira vez, a prova cobrou conhecimentos relacionados à hibridização, um tema até então inédito. Para se ter uma ideia, o conteúdo era tão imprevisto que não há qualquer questão pautada sobre ele nos vestibulares de instituições como Unicamp e USP ao longo dos últimos 20 anos! Por isso, vale a atenção: se sobrar um tempinho e você estiver tranquilo em relação aos temas mais cobrados, vale estudar um pouquinho outros assuntos que podem surpreender, OK?

Já em Biologia, as questões fugiram um pouquinho da memorização. Os candidatos precisaram relacionar conhecimentos técnicos aos conteúdos mencionados nos textos das questões. O mesmo aconteceu com as perguntas de Física. Foi necessário atenção à leitura, já que os textos foram um pouco maiores que o normal, mas os gráficos e figuras complementares poderiam ajudar na hora de encontrar a solução.

Finalmente, as questões de Matemática destoam um pouquinho do padrão comum às últimas edições. Em 2018, as contas simples e os enunciados diretos deram lugar para situações-problema mais trabalhosas, as quais exigiam alguns cálculos extensos para encontrar o resultado. Por isso, esteja preparado para solucionar questões mais técnicas.

Enem em números

Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), o Enem 2018 contou com um total de 5.513.662 candidatos confirmados. Além disso, a prova teve apenas 24,9% de abstenções, valor que é considerado o menor número desde 2009. Já quanto às notas, o instituto também divulgou os valores máximos e médios para cada caderno. Confira abaixo:

Área de conhecimento

Nota mínima

Nota máxima

Média geral

Linguagens, Códigos e suas Tecnologias

318,8

816,9

526,9

Ciências Humanas e suas Tecnologias

387,2

850,4

569,2

Ciências da Natureza e suas Tecnologias

362,5

869,6

493,8

Matemática e suas Tecnologias

360,0

996,1

535,5


Cerca de 4,1 milhões de redações foram corrigidas e, desse total, 112.559 textos receberam nota zero, enquanto 55 receberam nota mil.

E aí, anotou todas as dicas? :) É fundamental estar preparado para as mudanças que o exame trouxe nos últimos anos; portanto, não deixe de estudar bastante e, claro, refazer a prova e cronometrar o tempo!

Se você vai prestar o Enem este ano, aproveite e não deixe de ler sobre como montar um bom plano de estudos para a prova. E também confira algumas dicas para estudar inglês para o exame.

Venha para a Prepara!

Quer garantir um futuro ainda mais brilhante? Conheça os cursos profissionalizantes da Prepara e esteja pronto para o mercado de trabalho!